A linguagem no discurso persuasivo

A linguagem no discurso persuasivo

Os gregos eram grandes oradores, grandes poetas que preferiam ser mais orais e escrever menos. A linguística falada e não escrita, se desenvolvia na Grécia, até então chamado berço da democracia desde o início do século II A.C. A dinâmica da linguagem oral, quando expressada, é persuasiva, quando as palavras pronunciadas são adequadamente pronunciadas. Mas isso não independe da cultura, pois como já dizia os antropólogos estadunidense Kobe, a cultura desenvolvida em uma determinada sociedade é quem vai determinar o jeito de como uma pessoa vai sorrir, comer, se comportar, pronunciar e falar, e que, a mutação cultural causa efeito mais rápido de acordo com a aplicação da educação. No entanto, quanto mais avançada a educação, mais avançada é a capacidade linguística, falada e escrita de uma sociedade.

Uma sociedade, ou seja, grupos sociais, são constituídos evolutivamente de ícones e símbolos, na qual baseia a constituição de sua ideologia. Cada grupo social ou sociedade, possuem símbolos diferentes com os mais diversos significados. A igreja católica, usa o símbolo da cruz, para expressar em palavras a sua representatividade. É um ato dogmático, ou seja, tão persuasivo, que sequer é questionável por seus seguidores. O símbolo da química, física, ou partidos políticos sempre apresenta a imagem de uma instituição, ou classe. Sendo assim, os símbolos são tão persuasivos quanto a sua imagem, que ao ver uma arma, uma pessoa pode imediatamente associa-la ao crime, ao ver um símbolo partidário, pode associará imediatamente a corrupção ou política. Assim, quando um sujeito, ao ver uma bola, jamais pensará duas vezes para chuta-la.

Os símbolos estão enraizados na cultura, assemelhando a imagem e o que devem ser feitos, o mesmo ocorrendo com a linguagem falada e escrita, ligadas ao mundo dos ícones e símbolos, submissas as ideologias e valores sócio culturais de um povo.
 No mundo contemporâneo, pós segundos guerra mundial, são privilegiados os dotados de fluência verbal, capacidade intelectual e capacidade econômica. Mas o sistema de mercado criou normas que atribuiu a sociedade valores capitais, limitando classes e grupos específicos de melhores condições econômicas, melhor grau acadêmico, o direito de estar no topo da hierarquia social.  Mas o capital, transformou símbolos e ícones em negócio, e a cultura e os desfechos sociais passaram a pertencer ao mundo mercadológico. É uma questão cultural, elas sofrem mutações e em tempos mudanças significantes acontece.

O ato persuasivo não deixa espaço para formar opinião. É o que faz as empresas de publicidade. Ao trabalhar o inconsciente das pessoas, farão com que elas não sejam motivadas a pensar. Podemos exemplificar que, numa empresa de publicidade ao prestar serviços para um intermediador de capital, o banco, deverás usar daquilo que a massa social não consegue controlar  como o apelo à paixão incondicional  com filhos, mães, pai , amor ... tudo isso, o sistema mercadológico  se apossou , aplicando excessivamente  a linguagem escrita ,dicção  quase que perfeita, textos persuasivos  e imagens  surreais , mostrando o mundo que as pessoas gostariam de viver , um mundo fantasia , fictício.
Oratória, discurso persuasivo
Membro do parlamento inglês

Normalmente, os discursos são aplicados em categorias:
Osdiscursos lúdicos quando o em conversa paralelas, interlocutores se discursam em assuntos casuais e descompromissado ideologicamente, mas quase sempre valorizam a arte, a cultura.

O discurso polemico, ocorre persuasão, pois um tenta convencer o outro ou os interlocutores de sua veracidade ou razão através de argumentos sempre favorável, ou seja, sempre mostrando o lado positivo e nunca o negativo ao caso, dependendo do caso ou fato tratado. Assim entre vários outros tipos de discursos com características não muito diferentes.

O pior dos discursos, é o discurso autoritário, onde um indivíduo tenta impor uma ideologia argumentando a verdade ou da razão, sempre apresentando como motivo fatos ameaçadores a comodidade. Este rompe a estrutura de um discurso democrático, limitando o interlocutor a dogmática, ou seja, não deve ser questionado.

O discurso, é usado em todas as partes do mundo e é amplamente distinto, sendo melhor dizer que ele é uma ferramenta fundamental em que todo individuo locutor / discursante aplica com a finalidade de impor sua ideologia unificando uma linha de raciocínio. É por onde se constrói e destrói, se celebra contratos e moldam o curso da sociedade. E nesse sentido que boa parte das pessoas não constroem uma crítica envolto do que ver ou ler. Já criticou essa matéria?