A suprema Corte Jurídica (Constitucional) por fim é política.

A suprema Corte Jurídica (Constitucional) por fim é política.

Após a morte suspeita do relator da lava-jato (digo e confirmo muito suspeita) ministro Zavascki e a indicação bem ensaiada e imediata de Alexandre Morais para ocupar sua vaga, este iniciou uma peregrinação pelos gabinetes dos parlamentares. Alguns desses, parlamentares que o pretendente possível futuro ministro da corte  Sulamericana mais importante (digo Brasil) terá que julgar como réu, mas que antes precisam de um belo favor interpretado como constitucional: elegê-lo para o agraciado e cobiçado cargo de ministro.
ação de constitucionalidade, ação de inconstitucionalidade, recurso constitucional, direitos fundamentais, direitos humanos, liberdades civis, súmula, repercussão geral, diplomacia judicial, STF, Supremo Tribunal Federal, constituição federal, cf/88, cúpula do poder judiciário, cúpula, ministro, poderes, guardião da constituição, supremo, constitucional, art. 102, art 102, Brasil, Alexandre de Moraes

Bem que eu gostaria que isso fosse apenas minha opinião sátira como pretendi que fosse, mas o caso é real. São fatos. Alexandre de Morais quer atingir o topo máximo do poder. Ele terá que julgar os senadores que lhe presenteou com cobiçado cargo. Isso também é fato e não suposição. E como qualquer pessoa que pretende atingir o topo do poder, o tal Moraes tenta convencer a todos que Michel Temer –o traidor da Nação antibrasileiro- (I'm not brazilian. I'm anti Brazilian.-como gostaria de ser chamado junto com a figura Serra) fez justo e correto indica-lo para ministro.

É realmente certo? Particularmente, eu como cidadão de bem honesto cumprindo minhas obrigações e ainda de terceiros indesejáveis, e a qual tenho o Estado como sócio majoritário em tudo que ganho e faço (um deboche por pagar impostos tão abusivos e não ver retornos nem ter o direito de ser ouvido) não aprovo a indicação e nem acho que ela deva ser política. Mas nossa opinião "eus" brasileiros, não tem menor importância, pois onde se disputa poder não cabe mão de justos e honestos, nem daqueles que realmente banca a jornada de todo o espetáculo. Que venha o novo Ministro e que pensam as 9vas mentes, pois duas já ficaram fora de cena. Um se retirou, o outro foi retirado.