O Anarquismo

O Anarquismo

O termo anarquismo tem origem na palavra grega anarkhia, que significa "ausência de governo". É uma ideologia política que se opõe à todo tipo de hierarquia e dominação política, econômica, social e cultural, incluindo o Estado, o capitalismo, as instituições religiosas, o racismo, o patriarcado, divisão de classes e toda a espécie de opressão de uns sobre os outros. Representa o estado da sociedade ideal em que o bem comum resultaria da coerente conjugação dos interesses de cada um e o direito e as leis deixam de ter razão de existir.

O anarquismo é uma filosofia política que defende sociedades apátridas muitas vezes definidas como instituições voluntárias autogovernadas, mas que vários autores definiram como instituições mais específicas baseadas em associações livres não-hierárquicas. O anarquismo mantém o Estado como indesejável, desnecessário ou prejudicial. Embora o anti-estadismo seja central, alguns argumentam que o anarquismo implica oposição à autoridade ou organização hierárquica na condução das relações humanas, incluindo, mas não se limitando ao sistema estatal.


Como uma filosofia sutil e pouco dogmática, o anarquismo se baseia em muitas correntes de pensamento e estratégia. O anarquismo não oferece um corpo fixo de doutrina a partir de uma única visão de mundo particular, em vez fundindo e fluindo como uma filosofia. Existem muitos tipos e tradições de anarquismo, nem todos os quais são mutuamente exclusivos. As escolas de pensamento anarquistas podem diferir fundamentalmente, apoiando qualquer coisa, do individualismo extremo ao coletivismo completo. 

As tendências do anarquismo têm sido frequentemente divididas em categorias de anarquismo social e individualista ou classificações duais semelhantes. O anarquismo é muitas vezes considerado uma ideologia de esquerda radical, e grande parte da economia anarquista e da filosofia jurídica anarquista refletem interpretações antiautoritárias do comunismo, do coletivismo, do sindicalismo, do mutualismo ou da economia participativa.

Como um movimento social, o anarquismo tem sido representado como anarco-comunismo e pelo anarco-sindicalismo, sendo o anarquismo individualista um fenômeno literário que teve impacto sobre as grandes correntes por eles  participarem de grandes organizações anarquistas. Muitos anarquistas se opõem a todas as formas de agressão, apoiando a autodefesa ou a não-violência (anarcho-pacifismo), enquanto outros têm apoiado o uso de algumas medidas coercitivas, incluindo revolução violenta e propaganda da ação, no caminho para uma sociedade anarquista.
SÍMBOLO DO Anarquismo
Símbolo do  Anarquismo 
A origem mais remota é desconhecida, como uma filosofia mais moderna é tido como fruto do Iluminismo e especialmente das ideias do filósofo Jean Jacques Rousseau em torno da centralidade moral da liberdade. Havia muitos revolucionários do início do século XIX que contribuíram para as doutrinas anarquistas da próxima geração, como William Godwin e Wilhelm Weitling, mas não usaram a palavra anarquista ou anarquismo para se descreverem ou suas crenças. Pierre-Joseph Proudhon foi o primeiro filósofo político a se chamar anarquista, marcando o nascimento formal do anarquismo em meados do século XIX. Desde a década de 1890 da França, o termo libertarianismo tem sido frequentemente usado como sinônimo de anarquismo e foi usado quase exclusivamente nesse sentido até os anos 1950 nos Estados Unidos. Por outro lado, alguns usam o libertarianismo para se referir apenas à filosofia do livre mercado individualista, referindo-se ao anarquismo do mercado livre como anarquismo libertário.